[POR ONDE ANDA?] Após colocar muita gente para dançar, Pezão trocou os eventos pela família

Enílson ficou conhecido pelos sambas e pagodes que promovia em Jaboticabal nos anos 2000 (Foto: Alexandre Rocha/Com a Palavra)

Por Alexandre Rocha

Foram aproximadamente 15 anos realizando festas em Jaboticabal, de pequenos eventos em edículas a grandes shows na Estação de Eventos ‘Cora Coralina’. Enílson Carlos de Souza, o popular Pezão, marcou uma geração que gostava de sair à noite e curtir, na maioria das vezes, um bom samba e pagode.

Tudo começou com uma parceria entre amigos. Pezão e mais cinco ou seis amigos se organizavam e promoviam periodicamente eventos em edículas.  A coisa foi tomando proporções maiores e Pezão passou a alternar e depois migrar para eventos no popular Forró da Mirtes e, em seguida, no ‘Senzala’, com os amigos Nenê e Elis.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 


 

Muitos curtiram os pagodinhos e domingueiras na antiga Bumerangue e talvez, até hoje, não saibam que era Pezão quem organizava. Ele também chegou a fazer eventos do estilo na Mascagni e esteve à frente do Baile de Hawaí, da Usina São Carlos, por quatro anos.  “No começo foi difícil, mas chegou uma hora que as pessoas começaram a me procurar e as portas se abriram”, conta.

Marca foi criada para divulgação dos eventos e hoje estampa até chopeira (Foto: Alexandre Rocha/Com a Palavra)

O auge de Pezão foram os grandes shows. Trouxe Exaltasamba, Inimigos da HP, Jeito Moleque, Sorriso Maroto, Salgadinho e Bocaloka. Com parceiros, também organizou apresentações que até hoje são lembradas pelo grande número de pessoas, como César Menotti e Fabiano, Victor e Léo e Jorge e Mateus.

Grupo Sem Compromisso foi uma das atrações que Pezão trouxe para Jaboticabal (Foto: Acervo Pessoal)

Mas como nada dura para sempre, Pezão acabou deixando o segmento de lado. “Sempre gostei de fazer eventos, mas estava sobrecarregado. Comecei a namorar, casei, aí vem os filhos. Fica muita coisa. Eu tive que decidir: ou ficava com a família no final de semana ou fazia os eventos”, revela ele, que parou de atuar no segmento há 8 anos.

Segurança na pista

As festas deixaram boas lembranças e reservam histórias engraçadas. Uma delas foi num show do grupo Revelação, no Espaço Cardiofísico. Naquela noite, Pezão foi alertado que um segurança da equipe estaria dançando durante a apresentação. Ao abordar o rapaz, descobriu que não era um segurança, mas apenas um fã que foi ao evento com sua melhor roupa, terno e gravata, para receber seus maiores ídolos.

Grupo Revelação foi uma das atrações que mais marcaram a trajetória do promotor de eventos (Foto: Acervo Pessoal)

Mineiro de Teófilo Otoni, Pezão, hoje, tem 44 anos, é casado com Érica e pai de Gabriel e Hugo, de 8 e 3 anos, respectivamente. Atualmente, é empresário e diretor do Sindicato da Movimentação de Mercadorias.

O promotor de eventos sempre teve um público fiel nas festas e construiu uma boa reputação no meio. Até hoje é lembrado e ‘cobrado’ por amigos saudosistas ou conhecidos para que os eventos voltem a acontecer.

Para relembrar os bons tempos, ele planeja para este ano fazer algo especial e reunir os amigos e mais chegados. “Foi uma época muito boa, era um pessoal muito bom que frequentava. Guardo as lembranças com carinho e hoje aproveito bastante a família”, finalizou.

Pezão ao lado da esposa Érica e os filhos Gabriel e Hugo (Foto: Acervo Pessoal)
Compartilhe!