COMO FICA A SAÚDE MENTAL EM CENÁRIO DE ISOLAMENTO SOCIAL? POR ADÊNIA BATISTA

Em dezembro de 2019, quando surgiram na China os primeiros casos da COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus, poucos brasileiros poderiam imaginar que chegaríamos na situação atual — a doença foi classificada como uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o isolamento social é apontado pelos especialistas como a maneira mais eficiente de evitar o aumento no número de casos.

Diante deste cenário, a saúde dos indivíduos passa a ser uma prioridade perto a tantas outras questões, como a economia e as relações sociais. No entanto, quando falamos em saúde, muita gente pensa apenas na ausência do vírus no organismo, quando, na prática, é preciso neste momento darmos atenção também à saúde mental.

A importância do distanciamento social no cenário de pandemia

O rápido crescimento no número de casos de coronavírus fez com que algumas cidades brasileiras aderissem nessa semana o lockdown, fechando inclusive estabelecimentos considerados essenciais.  Além disso, as pessoas estão sendo incentivadas a trabalhar de casa, as escolas foram fechadas, e até a circulação em espaços públicos foram proibidas.

Esse tipo de medida é essencial em uma pandemia, já que o contato com uma pessoa infectada ou com seus fluidos corporais é a única maneira de contaminação. Portanto, o distanciamento social ajuda a diminuir os riscos de contaminação e a impedir a superlotação de hospitais.

Apesar de ser uma forma eficaz de conter o vírus, o isolamento social pode ter um impacto psicológico negativo para algumas pessoas. Fatores como a solidão, a perda da rotina, a falta de convívio com pessoas queridas e a redução das atividades físicas podem repercutir na saúde mental das pessoas.

Como cuidar da saúde mental em cenário de isolamento?


1. Buscar novas formas de passar o tempo

Manter a mente ocupada e estimulada é um dos principais cuidados a serem tomados em períodos de isolamento social e preocupação. Para isso, pode-se buscar novos hobbies, como cozinhar, ler ou desenhar, e procurar aprender novas habilidades, como música ou costura.

Outra opção são os cursos online disponíveis na internet sobre os mais variados temas, que podem ajudar a manter a mente ocupada e ainda trazer novos conhecimentos.

3. Fazer exercícios em casa

Exercitar o corpo é tão importante quanto exercitar a mente. Além de melhorar a saúde física, os exercícios físicos regulam o humor e, por isso, estão associados à sensação de bem-estar.

Estar em casa, permite uma boa alimentação e essa é uma grande aliada da rotina de exercícios. Ingerir comidas gordurosas ou industrializadas pode trazer sensação de cansaço e desânimo, o que contribui para o adoecimento mental. Por isso, procure manter uma alimentação equilibrada também durante o isolamento social.

4. Comunicar-se por meio de plataformas digitais

Assim como você, as outras pessoas também estão se sentindo sozinhas, preocupadas e impotentes diante do cenário de pandemia. O contato social, mesmo que virtual, ajuda as duas partes a manterem a saúde mental.

Com a pandemia em era de redes sociais, é possível entrar em contato com parentes e amigos pelos meios digitais. Converse sobre suas preocupações e anseios a respeito da atual situação, mas não deixe de falar, também, sobre assuntos leves que possam ajudar a manter a mente ocupada.

5. Absorver o máximo de sol possível

O sol é fundamental para o funcionamento do corpo e ele também pode causar um impacto na saúde mental e no bem-estar. Cientistas descobriram que problemas de saúde mental aumentam em épocas em que há menos horas de sol e diminuem quando há mais claridade.

Por isso, mantenha as cortinas e as janelas abertas durante o dia e, se possível, tire um período do dia para ficar na varanda, tomando sol e respirando ar fresco.

Adênia Batista

Compartilhe!