BE GREEN CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA – POR CARINA VON GAL GUEDES

Quem me conhece sabe bem o quanto eu gosto de pedalar! Essa atividade é uma terapia na minha vida, uma forma de renovar as energias e recuperar o ânimo para superar os obstáculos que enfrentamos diariamente!

Principalmente nesses tempos de pandemia, a bicicleta tornou-se uma maneira prática e saudável de distração, pois sair de casa e ter contato com a natureza é o melhor remédio para relaxar e não “pirar”!

Posso dizer que, depois que comecei a pedalar, conheci muitos lugares diferentes, e paisagens que somente esse contato direto nos permite admirar!

Mas em alguns lugares esse encantamento dá lugar a questionamentos importantes….. e vocês devem estar perguntando o motivo disso! Observem as imagens abaixo, que respondem por si só o que quero expressar: indignação!

   

 

 

     

 

 

Essas cenas me fazem pensar em como podemos conscientizar as pessoas sobre esse tipo de atitude, que não só poluem o meio ambiente como também mostram uma falta de amor e empatia!

Com tantas informações sobre as consequências do descarte inapropriado do lixo, e o quanto ele demora para se decompor (principalmente o plástico, que é o pior dos vilões quando se trata da natureza), me pergunto o que ainda leva as pessoas a realizar essa prática!

Na tabela abaixo, retirada de um site para estudantes do ENEM, podemos observar mais claramente a gravidade dessas ações.

 

 

Resolvi escrever esse artigo como uma tentativa de chamar a atenção de todos para esse problema, que piora a cada dia! Precisamos reverter essa situação, que está mais perto do que pensamos, e depende de cada um de nós para ser superada!

Pesquisando sobre ações que nos ajudariam a solucionar essa questão, encontrei no site da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Distrito Federal (http://www.sema.df.gov.br/administracao-de-ceilandia- busca-alternativas-para-combater-o-descarte-irregular-de-lixo/) algumas ideias ótimas para apresentar.

“Saiba como destinar seu lixo corretamente:

Lixo comum: de cozinha, de banheiro, etc, devem ser ensacados e colocados para o caminhão recolher conforme horário e dia estabelecidos.

Lixo reciclável: papel, papelão, garrafas, vidros, garrafas pets, latinhas, caixas de leite/de creme de leite, tubos de creme dental, baldes/bacias, sacolas plásticas, entre outros, devem ser ensacados separadamente do lixo comum e colocados para a coleta seletiva nos dias e horários indicados ou doados para cooperativas de catadores.

Lixo inservível: roupas, sofás, armários, dentre outros, podem ser doados. Se não houver condições de uso, precisam ser desmontados. As peças de madeira devem ser amontoadas e a coleta solicitada, ou podem ser encaminhados para alguma cooperativa. Os demais, caso seja algo de pequeno volume, deverão ser ensacados e colocados para a coleta junto  ao lixo comum.

Pneus: devem ser deixados no ato da troca para que seja dada a

destinação adequada. No entanto, podem ser reutilizados para jardinagem evitando o acúmulo de água.

Lixo eletrônico: lâmpadas, computadores, TVs, aparelhos de som, entre outros, deverão ser entregues à loja onde foram adquiridos. O mesmo deverá ser feito com pilhas e baterias, ou descartados em pontos de coletas. Há também cooperativas que trabalham com resíduos eletrônicos.”

 

Juntos conseguimos reverter essa situação! A natureza merece nosso respeito e as gerações presentes e futuras agradecem!

 

Uma reflexão: “Em uma sociedade na qual o exemplo é o melhor ensinamento (e em muitas situações o único), qual a sua escolha atual?”

 

By Carina von Gal Guedes

Compartilhe!