6 de Junho: Dia do Vinho Brasileiro! POR TAISA PARA

É verdade que os grandes ciclos de produção, com destaque à cana de açúcar, ao café, ao cacau, à borracha e mais recentemente a soja marcaram a história brasileira. No entanto, uma fruta, inexistente no país à época do descobrimento e colonização, e que é matéria prima para processamento e elaboração de nobres produtos, foi introduzida em território nacional e conquista cada vez mais os brasileiros e o mundo!

A implantação de vinhedos destinados à elaboração de vinhos iniciou no Brasil de forma modesta, principalmente na região Sul do país, utilizando cultivares de uvas de origem americana (Isabel, Bordô, etc), devido à resistência destes genótipos às principais doenças que afetam a cultura. Com o passar dos anos, o leque de cultivares de uva disponíveis para cultivo foi ampliado e novos produtos têm sido elaborados, garantindo aos vinhos made in Brasil um espaço crescente e de destaque.

Nessa evolução do produto nacional, diversas etapas foram necessárias para garantir a exploração dos diferentes terroirs, termo sem tradução para o português que remete à relação íntima entre o solo e o clima particular de determinada região, que permite o cultivo de uma variedade de uva, a qual expressa sua qualidade, tipicidade e identidade em um grande vinho.

No Brasil, isso se reflete no desenvolvimento de três perfis produtivos característicos: uma viticultura tradicional, localizada principalmente na região Sul do país, outra tropical (sim, o sertão nordestino produz vinhos e espumantes de muita qualidade) e uma terceira chamada de inverno, localizada na região central do país e que utiliza a técnica da dupla poda, permitindo a colheita de frutos em períodos secos, resultando em produtos de altíssima qualidade.

Aproveite esse momento para dizer sim ao vinho brasileiro e conheça a história, cultura e motivação dos profissionais do mundo do vinho do nosso Brasil!

Compartilhe!