Colégio proíbe renovação de matrícula de alunos envolvidos em caso de racismo

Colégio Portinari afastou os alunos após as denúncias

Na terça-feira, 23, o Colégio Portinari decidiu que os alunos acusados de fazer ataques racistas contra colega de classe em um grupo de WhatsApp do oitavo ano não poderão renovar a matrícula na instituição para o ano de 2022. A adolescente é filha do porteiro da escola.

O Conselho de Classe acompanha que acompanha o caso, orientou sobre a decisão, que precede medidas imediatas tomadas pelo Portinari. O colégio prestou atendimento às famílias dos envolvidos para esclarecer sobre a gravidade do caso e sobre o afastamento dos estudantes, a instituição também afirma ter realizado uma palestra educativa para toda a turma a o encaminhamento de uma consulta ao Conselho Tutelar.

Em nota, o colégio afirmou que não compactua com práticas discriminatórias. “Nossos esforços sempre estiveram norteados pelo compromisso de promover uma consciência solidária e empática onde não caiba qualquer atitude ou pensamento discriminação e/ou preconceito junto aos nossos estudantes e colaboradores”, diz.

Compartilhe!