Vacina de spray nasal pode contribuir para o fim da pandemia

Quando a pandemia vai acabar? Com o aumento recente do número de casos de covid, essa resposta parece estar ainda distante, mas especialistas apontam uma importante arma para o combate a doença: uma vacina em spray aplicada no nariz.

As vacinas tradicionais já salvaram milhões de vidas, principalmente por impedir o desenvolvimento de sintomas graves da covid-19. Mas de acordo com especialistas ouvidos pela TV Globo, já existe uma preocupação em relação a queda na proteção proporcionada por elas.

“Para a proteção, para a hospitalização, doença severa, doença grave, morte, ela ainda continua. Mas também estamos começando a ver uma queda nessa proteção”, disse a epidemiologista Denise Garrett a TV.

De acordo com os cientistas, os dois avanços esperados para acabar com a pandemia são: a criação de vacinas eficientes contra todas as variantes; e a mais esperada é uma vacina em spray aplicada no nariz ao invés da aplicada no músculo.

Vias respiratórias

O vírus da covid entra pelas vias respiratórias e permanece por ali por um tempo, se multiplicando, enquanto que as vacinas tradicionais não conseguem acesso a esta parte do corpo.

Com a vacina em spray nasal, o vírus seria combatido mais rapidamente e sem a possibilidade de se multiplicar. Quem for vacinado dessa forma, não se contamina e nem passa o vírus adiante, diz a reportagem. O que pode ser o caminho para o fim da pandemia.

Enquanto a nova vacina em spray não chega, devemos seguir com as orientações já conhecidas, como o uso de máscaras em ambientes fechados e no transporte coletivo e a vacinação com suas doses de reforço, o método mais eficiente que temos por enquanto para o combate ao covid-19.

Controlar uma pandemia num país como o Brasil é um desafio enorme. Para isso, enquanto não chega a nova geração de vacinas – o que ainda pode levar muito tempo -, resta seguir a ciência. Mesmo que não sejam perfeitas, as vacinas atuais ainda são nossa melhor defesa contra a Covid.

“É um momento de cautela. E, nesse sentido, uso de máscara. Máscara em ambiente fechado, máscara em transporte coletivo. Não é hora de abandonar todas essas medidas de uma vez. Queremos, sim, voltar com a nossa vida, mas temos que usar de cautela”, diz a epidemiologista Denise Garrett.

 

Confira a reportagem em vídeo: https://globoplay.globo.com/v/10640756/

Reprodução/ Isto É e g1

Compartilhe!